Que bela notícia…

“Os seus beijos causam taquicardia, mas da boa. São momentos inesquecíveis e arrebatadores.”

1000 visitantes

Tive que interromper o meu estudo para o exame que vou ter daqui a pouco às 18h para poder festejar o visitante 1000. Quando comecei a escrever, nunca pensei que tantas pessoas viessem visitá-lo. Já agora, gostava que a pessoa que foi o visitante número 1000, deixa-se um comentário ou envia-se um mail para poder saber quem era. Só por mera curiosidade.

Agora vou voltar a T.P.S., pois tenho que fazer esta disciplina…

Fim de semana

Mas que fim de semana fora do normal, no sábado o Sporting ganha na Luz dominando o jogo todo e no domingo neva durante a manhã em Lisboa.

O mundo está perdido…

Fama

Procuramos mesmo a fama. E quando escrevo na terceira pessoa do plural, estou a referir-me aos portugueses, pois só assim consigo explicar porque é que às 7h da manhã de um dia como este, que as temperaturas são consideradas as mais baixas deste Inverno e que está um frio de cortar a respiração, se encontrem mais de mil pessoas junto à Casa do Artista em Lisboa para um casting… Acho que já sabem ao que me estou a referir.
Mas o mais impressionante é que, das pessoas que consegui ver enquanto estava nos semáforos, a maior parte das raparigas estavam de mini-saia, e volto a recordar que eram 7h da manhã e, segundo o Instituto de Metereologia, o dia de hoje vai ser um dos mais frios deste Inverno.

O que retiro disto tudo é que só fazemos isto para ter fama, ainda bem que sou um pouco imune a isto e dão me para às 7h da manhã estar plantado em frente a um portão só para ter a hipotese de fazer um casting para aparecer na televisão. Agora compreendo porque é que aqueles programas da vida real tinham sempre tanto protagonismo e era tão comentado. E essas pessoas agora andam onde? Aparecem nas revistas quando acontece algo de mal com elas e mais nada, assim é a fama em Portugal desses programinhas.

Não censuro a televisão que está a fazer o casting, pois se precisa de actores, um casting é a melhor maneira, mas ir às 7h da manhã apanhar um frio para ter uma tentativa de entrar num programa de televisão é um pouco mau, digo eu. O mais certo não é ganharem um bilhete para a fama efémera, mas sim uma constipação ou problemas de saúde.

2 Anos depois

Mas afinal o que se passou há 2 anos atrás. Alguns já se devem relembrar, outros nem por isso. Mas eu não consigo esquecer, pois estava a ver em directo. Escrevo por causa da morte em campo do jogador Miklós Fehér há 2 anos atrás em pleno relvado do Estádio do Guimarães.

Foi uma morte que me marcou devido a inúmeras razões, sendo a principal, o facto de eu também ser jogador de futebol, mas também por ser um jovem e que morreu a praticar desporto. Sendo eu também um jogador de futebol e mais importante, uma pessoa que adora praticar desporto, tremeu perante a possibilidade de um dia acontecer comigo ou com alguém mais perto de mim. Muitos devem estar a pensar “então e depois, não morreu também o Foé e o Baião e no entanto deles ninguém se lembra”; é bem verdade que desses se calhar ninguém se lembra, mas se calhar porque neste caso, a morte ocorreu em directo e assim aplica-se um pouco o provérbio “Longe da vista, longe do coração”. E se calhar é mesmo, pois a morte do Baião não teve tão impacto como a do Fehér.
Dois anos já lá vão desde a morte desse jovem jogador, que possivelmente até podia dar muito ao futebol, mas especialmente, podia dar tudo à família e aos amigos que tinha. Ao fim ao cabo, era um ser humano que se preparava para continuar a sua vida e que após um cartão amarelo e um sorriso, cristalino como a mais pura das águas, caiu para nunca mais se levantar.
Não vou deixar nenhuma foto do fatídico jogo, mas deixo a foto que serviu de molde para fazer o busto presente no Estádio da Luz, pois é a que o representa melhor. Deixo também um link para um video feito por alguém que não conheço, mas que achei muito bom.

Fica também uma palavra em honra de Rui Baião também, pois era uma pessoa ainda muito jovem e que morreu também em campo. Por fim deixo uma frase que já deve ter corrido mundo, pois foi uma frase que marcou todas as pessoas pela sinceridade:

“Quando chegar a casa vou dizer aos meus filhos que os amo, porque amanhã não sei se estarei cá.”