Letters to my son

Dois meses de ti, mais um mês de aprendizagem para ti, para mim e para a tua mãe. As gargalhadas, o começar a fazer barulhos, como se estivesses já a querer reclamar da vida, a falar sobre o que se vai passando contigo. Os choros de aflição quando não estás bem com a vida. Um mês de viagens…
Viagens de carro para e do Sardoal para conheceres mais uma das tuas terras, família e tios/tias emprestados/as. Tiveste direito a um petisco/lanche/jantar que serviu de festejo pelo teu primeiro mês de vida e ainda com direito a um passeio para ver as marchas da terra. A primeira ida à praia para sentires o calor e o sol, e já agora o cheiro a choco frito, onde passaste quase todo o tempo à sombrinha e a dormir. Tiveste o prazer de ser o espectador privilegiado da entrega dos bonecos do bolo de casamento dos teus pais, numa forma peculiar e muito engraçada de serem entregues.
Viagens de avião para e dos Açores, para conheceres mais um pouco dos colos da tua família e para eles te conhecerem a ti, assim como mais tios/tias emprestados/as. Viagem de ida cheia de nervos para a tua mãe, sempre com medo que fosses chorar, mas em que tu demonstraste que estás preparado para conhecer todo o mundo, para ser um cidadão do mundo, com o Mundo a teus pés. Mais uns banhos, desta vez dados pelas tias, tios, avós, avôs e primos, uma nova aprendizagem para ti e para todos em casa. O facto de se só quereres miminhos e só adormeceres e dormires bem ao colo de alguém e nunca na tua caminha emprestada ou mesmo na cama dos teus pais. A primeira ida à piscina, quase como a servir de nadador salvador, sempre do alto dos seus 59 cm a observar tudo à sua volta. A primeira ida à praia nos Açores, numa praia de areia preta, onde colocaste os teus pézinhos na areia, onde mexeste os teus dedinhos na areia preta para perceberes que novidade era aquela.
A viagem de regresso com direito a uma hora de espera pelo avião, mas também passada sempre a dormir, desde o momento em que nos sentámos no lugar até ao momento em que saímos do avião em Lisboa.
Depois o regresso a tua casa e o regresso às rotinas. Dois meses de ensinamentos que tu nos dás e que nós te damos.

“Uma vez por ano, vá a algum lugar onde nunca esteve antes.” – Dalai Lama

365 Days 2018

Para esta semana voltaram as fotografias dos Açores. Desta vez as fotografias foram tiradas todas durante esta semana. Desde o “passeio” para ir buscar uma panela de cozido das Furnas, confeccionado directamente do chão, junto às caldeiras existentes junto à lagoa; passando por vistas deslumbrantes sobre a Lagoa das Sete Cidades; continuando por uma fotografia de um antigo baleeiro típico dos Açores, presente no centro comercial Parque Atlântico; e terminando com uma fotografia da Praia Vinha D’Areia, em Vila Franca do Campo, onde o meu herdeiro colocou os seus pés pela primeira vez numa praia de areia vulcânica.

Colagem 28_2018

Se alguém estiver interessado em ver mais imagens sobre Vila Franca do Campo, este fim-de-semana houve um evento muito conhecido por lá: o Red Bull Cliff Diving. É clicar e ver…

365 Days 2018

Para esta semana que agora termina voltei a colocar fotografias relacionadas apenas com uma temática. E para celebrar um ano de casado e para recordar a viagem aos Açores do ano passado, coloquei fotografias do passeio que fiz e uma de ontem, numa vista deslumbrante e acessível a poucos.

Colagem 27_2018

Um ano depois da viagem o regresso aos Açores para mostrar o novo membro da família e para comer o Cozido das Furnas, um excelente petisco…

365 Days 2018

Esta semana decidi criar uma espécie de semana dedicada a algo. E como tal decidi colocar algumas fotografias de um dos novos aviões que chegou à TAP Air Portugal, o A321neo da Airbus, que tive o prazer de conhecer durante uma hora de almoço. Se quiserem saber mais informações sobre o avião basta fazer uma pesquisa pela matrícula do mesmo (CS-TJI) e podem saber muitas da características do mesmo. As fotografias que fui deixando durante a semana no meu perfil do Instagram é do interior do avião, desde a classe económica até à classe executiva, assim como do cockpit e do exterior deste avião que vai ser uma das novas coqueluches da TAP Air Portugal.

Colagem 26_2018

Para todos os que quiserem saber mais sobre o avião e sobre as viagens que ele tem feito, basta passarem pelo site do Flight Radar 24 (www.flightradar24.com) e pesquisarem pela matrícula do mesmo: CS-TJI. A todos os que adoram a aviação como eu, de certeza que vão pesquisar.

Letters to my son

Um dia, quando e se leres estas palavras, quero que percebas que o teu primeiro mês de vida é algo que não tem nenhum tipo de explicação. Passa por ser uma espécie de hipnotismo que eu e a tua mãe temos por ti, desde o primeiro minuto, a primeira hora, o primeiro choro, a primeira fralda, a primeira refeição, o primeiro sorriso, tudo.
Desde o teu nascimento (e até antes) que é tudo novo, tanto para ti como para mim e para tua mãe. As experiências para que durmas o mais descansado possível, as regras que impomos a nós e a ti, para que tenhas uma rotina de tranquilidade para que toda a tua vida seja sem crescendo, tanto de força, como de saúde e até de amor. Cada vez mais amor, é isso que vai enchendo nos nossos corações e vai crescendo o hipnotismo por ti.
A saída de maternidade e a chegada a casa, o deixar de ter a campainha para poder ajudar quando não sabemos porque choras. A aprendizagem para ter a calma suficiente para que tu também possas estar calmo e pacífico. O primeiro banho em casa e o segundo e o terceiro, tudo para os pais aprenderem as tuas manhas e gostos. O não gostares de tomar banho de barriga para cima, mas o prazer que tens ao tomar banho de barriga para baixo, os apoios dos teus braços nos meus ou nos da tua mãe, enquanto eras filmado com a cara de mais relaxe que há na vida. E por emanares esse prazer, criavas ainda mais prazer em mim e na tua mãe.
O primeiro exame médico, a primeira consulta com o pediatra, os teus novos cartões que te vão identificar para toda a vida. O primeiro passeio fora de casa, as viagens às compras. Tudo uma aprendizagem. Mas também todas as extravagâncias: a sessão fotográfica de recém-nascido; a ida aos Santos Populares de Lisboa; a viagem à terra para que todos os tios e tias (uns de sangue, outros de afinidade connosco) que pudessem conhecer e pegar e também eles ficarem hipnotizados contigo.
Não fiques já a pensar que tudo foi neste primeiro mês… Os choros, as dores de barriga, as cólicas, o engasgar a comer, as noites mal dormidas e os nervos que tu pregas à tua mãe. E essencialmente o facto de nunca se saber o que é certo ou errado e estar sempre a “arriscar” coisas novas não sabendo se vais gostar. Não que isto seja totalmente mau, mas é a capacidade de nos deixar sempre na dúvida se te estamos a prejudicar ou não…
Um mês cheio de ti, que vieste preencher a minha vida e vida da tua mãe com o que nos faltava para que a nossa vida fosse ainda mais cheia de amor e preenchida de altruísmo e de protecção por uma vida que não é nossa, mas que é tanto de nós dois.
Um mês meu filho, meu herdeiro, meu amigo. O primeiro mês do resto da tua vida.

Uma pessoa que nunca cometeu um erro nunca tentou nada de novo.” – Albert Einstein

(Este post já deveria ter sido escrito há quase duas semanas atrás, mas acho que vem bem a tempo.)