Letters to my son

Começar mais um mês de vida com uma consulta com o teu pediatra trouxe novos desafios para ti, para mim e para a tua mãe. As caretas que tu fizeste quando provaste a primeira colher de sopa (tens que nos pedir o vídeo, porque até tu te vais rir). Mas depois de algumas voltas e testes, a forma como até davas às pernas, impaciente com a próxima colher… E a fruta? Novamente má cara na primeira colher, mas depois todo um despachar enquanto comias.
As novas cadeiras que tiveste para podermos descobrir onde te sentias melhor. Depois de escolheres a eleita, o glutão que tu eras a comer. Mais sopa e fruta houvesse nas tuas taças, mais tu querias comer. Mas à noite, aquele leitinho antes de ir para a cama tinha que ser. Depois da banhoca e do leitinho, o sono dos justos chegava a ti e dormias agarrado à tua amiga de sempre, com som ou sem sono, com a música já engasgada das pilhas fracas ou em toda a sua plenitude ao nível da energia.
Agora que o sono começava a ser rotina bem delineada (na maior parte das vezes) os teus pais perdiam-se no tempo a observar as posições das tuas mãos durante as sestas e o sono. Desde ter as mãos no ar como se tivesses sido apanhado, passando pela posição das mãos a tapar os olhos como se tivesses uma luz que te incomodava, continuando pelas tuas preferidas sempre agarrado a alguma coisa: a beira do Next To Me, a chucha e claro está a tua amiga de “longa” data, a ovelha Lilly.
Novas vacinas, mas sempre o mesmo desfecho. Os teus pais esperam que seja sempre assim ao longo do tempo. Verás nas próximas histórias como terá corrido…
E a baba que aparecia por causa das cócegas que os dentes começavam a dar. Sempre as mãos na boca a tentar morder para tentar controlar a sensação desses dentes que iriam aparecer. E quando tentavas abocanhar o ombro do pai enquanto as mãos agarram-se ao que estivesse literalmente mais à mão. Numa dessas vezes adormeceste no ombro do teu pai, num recanto só teu onde a cara encostava no ombro e no pescoço do pai ao mesmo tempo.
Por fim, foi nesta altura que ficaste a saber que ias ter mais um “primo” ou “prima” para brincares e também  tomar conta. Uma surpresa que deixou os pais muito contentes e que teve o condão de arrancar uma magnífica gargalhada tua.
Mais um mês e mais umas novas experiências de vida que chegaram cá a casa. Em breve uma nova aventura irás ter ao longo dos teus dias, quando fores conhecer novas pessoas que vão estar na tua vida e que também elas vão ter o prazer de passar na tua vida.

“O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem, por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.” – Álvaro de Campos

365 Days 2018

Uma semana de intenso trabalho, mas que culminou num fim-de-semana de reencontros, amizade e novidades. Foi também uma semana onde deixei fotografias da Praia da Vagueira em Vagos, perto de Aveiro, durante um fim de tarde diferente já com algum frio à mistura, mas com um pôr-de-sol muito bom para tirar fotografias. Para terminar a semana deixei uma fotografia dos pés mais fofos deste castelo, todo cheiro de estilo, como só o herdeiro deste castelo podia ser.

Colagem 41_2018

365 Days 2018

Depois de uma semana mais curta e um fim-de-semana mais logo aqui fica mais um artigo com uma montagem e uma breve descrição das fotografias que fui colocando no meu perfil do Instagram (Intersrd). Esta semana, tal como outras tantas, as fotografias seguiram quase todas em redor de um denominador comum: o herdeiro deste castelo. Talvez pela falta de tempo para tirar fotografias ou mesmo porque o modelo é bastante acessível para obter as ditas cujas, a verdade é que houve fotos dele para todos os gostos. Desde as fraldas reutilizáveis, passando pelas meias ou até mesmo o carrinho dele enquanto se visitava o Jardim Zoológico de Lisboa. As únicas que não sobre ele foram tiradas na Praia da Vagueira, em Vagos. Uma das conchas que foram ficando na praia com a baixa mar e outra de um barco de pesca que se encontrava já em terrenos mais elevados, para não ir com a maré.

Colagem 40_2018

Muito em breve irá surgir novidades neste castelo com alguns produtos para venda. Estejam atent@s!

365 Days 2018

Última semana de Setembro, a estação do Verão a terminar, mas o calor a manter-se por cá. E o que se mantém sempre é a fotografia que coloco todos os dias no meu perfil do Instagram. E nesta semana deixei algumas fotografias de uns projectos que foram feitos cá por casa em conjunto com a mulher da minha vida (o restauro de uma cadeira e a criação de uma cabeceira para a cama). Para além disso coloquei também algumas fotografias do “bichinho” pequeno, que é o herdeiro deste castelo e completa a minha vida em conjunto com a minha esposa. Para terminar uma fotografia de uma excelente francesinha no restaurante Pitéus do Amir e outra do jardim do Campo Grande.

Colagem 39_2018

Um pequeno aparte, para quem quiser saber mais informações sobre as fraldas reutilizáveis que o meu herdeiro utiliza, basta passar em www.ecologicalkids.pt ou numa das lojas físicas da Ecological Kids.

365 Days 2018

Apesar de ter sido a semana em que festejei mais um mês de existência do herdeiro deste castelo, as fotografias que fui deixando no meu Instagram pouco ou nada tiveram a ver com esse aniversário. Fui “resgatar” dois quadros que encontrei na loja de Lisboa da Ecological Kids, onde se encontravam duas estatísticas relacionadas com fraldas de bebés; depois uma fotografia de uma carteira minimalista que comprei numa pequena barraquinha no LX Factory, a Singular Leather; de seguida uma fotografia de uma mousse de chocolate caseira que comi no restaurante Pitéus do Amir, em Telheiras (e que aconselho vivamente para quem quiser comer uma excelente francesinha); coloquei também uma fotografia de um avião em aproximação da pista do Aeroporto de Lisboa, enquanto passava por cima do renovado Jardim do Campo Grande; por fim duas fotografias da Feira da Luz, no Jardim da Luz, uma de um carrossel e outra de umas bóias que existiam para os miúdos “andarem” no pequeno lago que existe no jardim.

Colagem 38_2018

Agora que vejo que vamos na semana 38 desta rubrica, começo a perceber que o ano está a aproximar-se do fim. E mesmo sem ir ver o que fui escrevendo nesta rubrica, acho que tenho alguns posts prometidos em atraso. Pode ser que comece a haver mais tempo, porque as ideias para escrever vão-se acumulando na minha cabeça. Vão aparecendo, porque pode ser que apareça por aqui algumas coisas boas…